"A simplicidade é o último degrau da sabedoria." Gibran



quarta-feira, 12 de novembro de 2008

A gravidez da mãe adotiva

Gravidez nada mais é do que espera, não é?
Pois assim como as mães biológicas, que passeiam a mão pelas respectivas barrigas, a gente também gesta. A diferença é que não temos o barrigão lindo, mas o amor é o mesmo e a ansiedade é a mesma.

Quando morava em Brasília, uma amiga fez seu chá-de-fraldas e, como decoração, ela fez um enorme mural com fotos (emprestadas, claro) de todas as convidadas, quando estavam grávidas. Todas, menos uma: eu.
Não sei se ela, erroneamente, pensou que eu daria fotos da gravidez biológica (jamais!) ou simplesmente ela achou que mãe adotiva não gesta.
Amigas, mãe adotiva gesta, sente frio na barriga, ansiedade e tudo o que vocês possam imaginar. Com o agravante que vocês sabem quando sua espera pra abraçar vossos filhos acabará, a gente não sabe. Sua espera dura nove meses ( mais ou menos) e a nossa pode levar anos, porque depende de fatores alheios à nossa vontade.
Então, agora vou mostrar como foi a gravidez do Lucas e da Mariana.

Este quarto eu pintei com a ajuda da minha amiga Cida, mais a energia positiva de Socorrinho e Góes e mais alguns amigos. A lixeirinha foi a vizinha do lado que, carinhosamente pintou ursinhos combinando com o border. Tenho fotos deles todos segurando roupinhas do Lucas, como que dizendo: " Vem logo menino! Olha seu quarto pronto, esperando você!"





( acho que o dono gostou, não é?)

Aqui, a gravidez da Mariana.
Os móveis e adereços são os mesmos do Lucas, mas troquei o marinho pelo rosa.

No quarto tinha a cama de solteiro, porque esperávamos "Rayssa", lembram?


Esse painel de isopor eu fiz pra a Mari, porque não gosto de colocar estante em quarto de bebê . É bem "pebinha", como diz Margaret, mas alegrou e encheu a parede..rssss.



Aqui, um olhar de um irmão apaixonado.



Essas foram nossas duas esperas.

23 comentários:

Kátia disse...

Sabe sua estória mecheu muito comigo... Parabéns vc foi uma pessoa que soube aprender com a dor. Q Deus continue iluminado o seu caminho!!!!!!
Qdo quiser visite meu blog: http://tudodbomptoco.blig.ig.com.br

Janice disse...

Talma,
você se expressa de uma maneira ímpar.
É lindo ler o que você escreve e sentir quanto amor há nessa linda relação entre mãe e filhos.
Filhos do coração que na maioria das vezes tem mais do que na relação de sangue.
Você é uma pessoa especial!
Beijo :)

Santinha disse...

Ficou tudo muito lindo e imagino q tenha ficado numa ansiedade do cão!
Pena que eles crescem viu! Tenho tanta saudades dos "bebês".
beijokas

Priscila disse...

Linda, quanto amor existe em sua alma...e quanto carinho e cuidado.
Filhos lindos e com a cara de vcs 2, pais amaveis!
bjus.

margaret disse...

Que lindo esses quartos...o da Mari entao eu amei...as cortinas...hummmm....perfeito...
e linda a foto de Lucas com Mari no colo? foferrima....
falando em Lucas, tirou o cheiro de ferrugem??? rs.....
Beijos querida...te adoro.

Edna Fadinha disse...

Acredito no que vc diz.E eles são a sua cara.Tem uma caso lá na escola de uma aluna adotada.Qd me falaram eu duvidei pois a menina é a cara do pai e da mãe.Coisas da vida né?
Vc é uma mulher muito forte.
Bjs

Adhara disse...

Nossa Talma, que lindo!! Fiquei emocionada! Adorei conhecer um pouco mais sobre a sua linda família. Um beijão.

disse...

Ai meu Deus que fofura!
Do texto aos quartinhos, lindos!
E que fofitos os seus filhooooos!
Ameeeei o painel da Mariana!
Um show de delicadeza!
Bjocas em todos!
=D

Vilma disse...

Sem dúvida que mãe adoptiva também tem o seu tempo de gestação!
E o parto é maravilhoso!
Lindos teus filhos!
Um abraço e que Deus abençoe tua familia linda!

Viviany disse...

Uma graça os quartinhos Talma ... Adorei !!! As crianças pequenas , hummm , que saudades que isso dá , né ?!?
Bjo grande *

Vivian disse...

que fofos !! Nao sei pq, mas tenho uma quedinha por rosa rs!! Esse quartinho rosinha ficou muito mimoso e fez me lembrar que até hoje a Kiara nao ganhou o quartinho rosa de criança !!! que vergonha rs

bjks

Georgia disse...

Talma, desculpa a demora, mas estou lendo todos os posts bem calma.

Olha, eu acho que as vezes nao somos amadurecidos para ver além. Como foi o caso dessa mae do chá de bebê. Eu mesma durante minha vida nao tinha olhos voltados para outras sensibilidades. Hoje, sim. vejo o mundo com outros olhos pelo que a vida me ensinou. Ela tb um dia vai aprender.

Lindo os quartos dos seus filhos. Quanto capricho!
Parabéns!

beijao

Claudia disse...

Que lindos e dá pra sentir o tantão de carinho que vc colocou ali. E o cheirinho de nenen que a gente sente? aia, ai...
Amei sua história.

beijos

design de interior e exterior disse...

Talma,
tenho amado todos os seus posts sobre adoção, ainda mais que sempre tive vontade de adotar. Mas, tenho muito medo de não conseguir pois sou mãe solteira e também penso que tenho que proporcionar a este filho do coração tudo que proporcionei aos outros dois.
Tenho notado em todos os blogues que a vida não é fácil para ninguém, são tantos problemas ...mas temos muitas soluções também e é por isso que dividimos nossas experiências. ~Só de pensar o que vc já passou fico com os olhos cheio de lágrimas . beijos minha guerreira
Ana Claudia Cavalcanti

Sandra... disse...

Talma, con cuanto amor que se prepara todo para la llegada de un hijo.. la bendición más grande que podemos tener las mujeres!!
Preciosa la foto del niño meciendo a su hermanita♥♥
Besotesssssssss

Fábio Mayer disse...

Eu acredito nisso.

Isso porque, quando fico longe da minha sobrinha por muito tempo, quase morro de saudades.

Se eu, tio, fico ansioso só de brincar um pouquinho com a nenê (2 anos) da família, imagine uma mulher que está esperando uma criança adotiva? Certamente ela acaba desenvolvendo sentimentos, tal qual uma mãe, com seu filhinho na barriga.

Guria complicada disse...

Você tem uma alma perfumada! Eu acho que mães adotivas são os seres mais especiais que existem, pois recebm nos braços e amam sem limites seres que não sairam delas, num mundo onde muitas pessoas ainda não sabem amar ao próximo. Parabéns, sou filha adotiva e o amor que meus pais sentem por mim e eu por eles não há palavras que possa descrever...

Anônimo disse...

Olá Talma, estou muito comovida e animada com seu blog. Não posso gestar uma criança naturalmente, mas não tenho dúvida de que o possa fazer psicologicamente. Não tenho a intenção única de fazer o bem para a criança, porque acho que o bem infinitamente maior é ela que fará por mim, há tanto a aprender com esse ato.
Ser mãe por adoção se tornou um projeto de vida para mim. Estou dando os primeiros passos e lugares como seu blog são muito valiosos para mim.
Muito obrigada por ser tão generosa e dividir com o mundo suas experiências.
Um forte abraço. Karina.

Andrea Pimentel disse...

Olá Talma,
Tudo bem??? Seu texto acima é bem verdadeiro, no momento estou na minha 22ª semana de gestação de coração, eu e meu marido entramos no Cadastro Nacional de Adoção em Dez/2008, e é bem verdade, vivemos toda a expectativa do primeiro telefonema, como quem espera seu bebê mexer. Na empresa que trabalho hoje temos 3 grávidas de barriga e eu de coração, mas nos relacionamos e somos tratadas todas como gestantes. Tive uma gravidez física em fevereiro, mas ela foi interrompida naturalmente em março. Num primeiro momento, claro, ficamos muito chocados, mas isso não tirou o brilho da expectativa do nascimento de nosso(a) filhinho(a)do coração em nossa família, até porque tínhamos optado que, caso a gravidez física fosse adiante, manteríamos o processo de adoção.
Adorei ter encontrado seu blog.
Desejo à você e sua família todo amor, saúde e harmonia do mundo.

Beijos no coração

Anônimo disse...

Amada de Deus
Passei por momentos muitos dificies, principalmente quando soube que não podeira ter filhos,a não ser çor insiminação artificia, foi ai que eu e meu esposo juntos optamos por uma filha de coração, passamos pelo cadastro nacional e já estamos na fila de espera, sabe não vejo a hora da minha filhinha chegar, pois ela já é tão amada, que todos os dias oro a Deus para que ela chegue. gostei muito do sua historia isso nos ajuda a ter Fé e Crer que Deus irá realizar. Beijos

Francine Segawa disse...

Oi Talma, produzo o programa de rádio Pais & Filhos, estamos fazendo um programa sobre adoção, gostaria de gravar uma entrevista com você, se puder me escreva francine@sociedadedapalavra.com.br, meu prazo é até a próxima segunda.

Abraço,
Francine

Juliano disse...

Olá,Parabéns pela sua coragem!
Meu nome é Juliana, tenho 35 anos,já passei por uma gravidez (minha está com 4 anos,é muito linda, esperta, saudável) tive um problema de saúde e não posso mais engravidar ( minha vontade sempre foi ter 2 filhos)
e minha filha já pede um irmão desde decidimos adotar.
Eu e meu marido decidimos adotar um menino,entramos com toda documentação e no cadastro mas o juíz decidiu entregá-lo a outro casal (meu convívio com este bebê foi desde recém-nascido e fiquei um ano aguardando pela decisão)
Meu marido achou que o juíz foi extremamente injusto conosco e decidiu não querer partir para uma nova tentativa de adoção, estou tentando convencê-lo...
O que Deus quiser será feito.

Circuito disse...

Show a sua colocação!!! Estava simplemente navegando epensando sobre a decisão de "engravidar" qdo encontri seu blog. Achei o máximo a sua definição. Nunca tinha pensado dessa forma. E esse ponto de vista está pesando em uma decisão que tenho que tomar nessa proxima semana. Valeu pela ajuda, mamãe!!!!
Afinal...nada é por acaso.

 
Related Posts with Thumbnails